Com apoio logístico do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), policiais do 7º BPM (São Gonçalo) realizaram nesta quinta-feira (17/08) mais uma etapa da Operação Passe Livre, ações planejadas para retirada de barricadas de vias públicas instaladas por criminosos, tendo como principal objetivo impedir a passagem de viaturas policiais nas comunidades onde estão entrincheirados.  Nos últimos noves meses,  já foram retiradas barricadas de mais de 100 vias públicas localizadas em comunidades de 11 bairros de São Gonçalo.

Os criminosos constroem as barricadas com blocos de concreto, instalação de trilhos de trem fixados no asfalto e até com plantio de árvores em ruas que não são calçadas. Esses obstáculos são retirados com a utilização de uma retroescavadeira cedida pelo BOPE, batizada entre os policiais de “transformer”, em função da semelhança do equipamento com personagem homem-máquina do filme de ficção infantil.

Nesta quinta-feira, a Operação Passe Livre ficou concentrada em ruas do bairro Jardim Catarina, uma das áreas com maior concentração demográfica da América Latina.

– Essa prática de bloquear  ruas é mais uma demonstração do grau de crueldade dos criminosos. Eles impedem que os milhares de moradores tenham acesso aos serviços públicos. Peço que os moradores continuem denunciando a instalação de barricadas. Nós garantimos o anonimato dos colaboradores de nossa luta contra o crime organizado – disse o comandante do 7º BPM, Coronel Ruy Sérgio França. Desde que assumiu o comando da unidade, no final do ano passado, o Coronel França vem colocando em prática a Operação Passe Livre.

Para tentar bloquear a circulação das forças de seguranças nas comunidades com a colocação de barricadas, os criminosos impedem também o acesso de veículos de outros serviços públicos, como ambulâncias, Corpo de Bombeiros, concessionárias de água e luz, carros de entrega de mercadoria.

Na maioria dos casos, o comando do 7º BPM é avisado sobre bloqueios de vias públicas por denúncias anônimas que chegam pelo serviço 190, Disque-Denúncia e pelas redes sociais conectadas à sala de operações da unidade de São Gonçalo.