A criação do Fórum Permanente de Interlocução junto ao Comandante-Geral passa a estreitar, agora de forma mais sistematizada, um canal de comunicação entre o Comando da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e as entidades representativas dos policiais militares, fato inédito na história recente da Corporação.
Durante o último encontro do Fórum, realizado na tarde de quarta-feira (25/10/2017) na sala de reuniões do Estado Maior Geral da PM, chegou-se ao consenso de que essa coalizão priorizará sempre o bem comum dos policiais militares e a Corporação.
– Unidos e agindo em conjunto, somos mais fortes e as nossas possibilidades de vitória aumentam muito, seja para nos valorizarmos institucionalmente ou para alcançarmos conquistas como servidores públicos – disse o Comandante-Geral da PM, Coronel Wolney Dias Ferreira durante a reunião com os representantes de nove das 11 entidades de classe presentes.
No encontro, foram discutidas questões prioritárias para a Corporação e policiais da ativa, inativos e pensionistas, como, por exemplo, a criação do Fundo Estadual de Segurança Pública, que será formalizado em breve com envio de uma mensagem do Governador Luiz Fernando Pezão para a Alerj.
Outra questão importante debatida foi a polêmica sobre a investigação de crimes contra vida praticados por policiais militares. Todos foram unânimes em acompanhar o entendimento da maioria dos estados do país, que, ao contrário do Rio de Janeiro, os crimes de homicídios dolosos são investigados pelas corregedorias das Polícias Militares e, ao final da tramitação do inquérito, encaminhados aos tribunais do júri.
Para fortalecer e consolidar o Fórum Permanente de Interlocução, serão realizados encontros mensais. Da reunião de quarta-feira (27/10), participaram representantes de nove entidades: Capitão Jorge Almeida, da ASPOM; Tenente Da Silva, do SOS Polícia; Coronel Alvarez Fernandez, da SIDREP; Miguel Cordeiro, Assinap; Coronel Ricardo da Silva Furtado, da Sociedade Treme-Terra; Coronel Adalberto de Souza Rabelo, da AOMAI; Coronel Robson de Almeida Paulo, da CBPMERJ; Coronel Moacir dos Santos Pereira Júnior, da AMW e Irmandade Nossa Senhora das Dores.
Além de representantes das nove entidades acima, o Comando da PM espera contar na próxima reunião do Fórum com a participação de dirigentes da Associação de Soldados e Praças e do movimento Mulheres Guerreiras.