Em pouco mais de20 dias deste ano, policiais militares já apreenderam 33 fuzis em poder de criminosos em sucessivas operações realizadas em comunidades localizadas especialmente na Região Metropolitana do Estado. O levantamento, feito pela Coordenadoria de Inteligência da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, indica que o volume de apreensões será tão ou mais acentuado como nos anos anteriores, quando mais de300 fuzis foram apreendidos.

Ao classificar o levantamento por modelo e origem, a estatística da Coordenadoria de Inteligência chama atenção para a incidência de fuzis fabricados pela indústria bélica estrangeira. Dos 33 fuzis apreendidos, 13 são da Colt modelos  AR-15 e AR-10, de fabricação americana; 9 são do modelo AK-47, a maioria de origem  russa ou de países do Leste Europeu; 4 do modelo G3, que tem versões espanhola e alemã. Os fuzis de modelo FAL somam três unidades, que podem ter sido fabricados no Brasil, mas também na Argentina e na Bélgica, países que mantêm unidades de produção desse armamento.

– Esse recorte na estatística por modelo de armamento é muito oportuno, porque demonstra a importância para o combate ao tráfico internacional de armas – disse o porta-voz da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Coronel Mauro Fliess.

Paralelamente a possíveis ações articuladas em âmbito nacional para reprimir o comércio clandestino de armamento de guerra, a Polícia Militar do Rio de Janeiro permanecerá combatendo diuturnamente as facções criminosas do tráfico de drogas que se instalam nas comunidades do Estado, aterrorizando moradores e disseminando outras modalidades de crimes.

– A cada arma que retiramos das mãos dos criminosos, estamos preservando muitas vidas –

 

afirma ainda o Coronel Fliess.

As quatro últimas apreensões de fuzis no Estado ocorreram entre segunda-feira (21/01) e terça-feira (22/01) nas comunidades do Morro do Urubu, em Pilares;  do Teixeira, em Jacarepaguá; do Morro São João, no Engenho Novo; e na Vila Ipiranga, em Niterói.

Além dos 33 fuzis, os policiais militares apreenderam, no mesmo período, 323 armas de fogo – sendo 155 pistolas e 120 revólveres, além de submetralhadoras, carabinas, espingardas, garruchas. Também foram apreendidos 36 explosivos – 20 granadas e 16 artefatos de fabricação artesanal.