A independência das instituições e o trabalho integrado das Secretarias de Estado de Polícia Militar e de Polícia Civil do Rio de Janeiro estão entre os principais fatores para explicar a redução expressiva dos mais impactantes índices criminais dos primeiros seis meses deste ano em todo o estado. Os números do Instituto de Segurança Pública (ISP) referentes a junho, fechando o primeiro semestre do ano, foram apresentados na tarde de segunda-feira (22/07) no auditório do Palácio Guanabara.

Ao abrir o evento, o Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, parabenizou homens e mulheres das polícias do estado, que trabalham com dedicação e profissionalismo no dia a dia e têm conseguido apresentar um resultado exemplar. Mais uma vez, os números do ISP revelaram redução dos principais indicadores de crime contra a vida e crime contra o patrimônio. Os homicídios dolosos, por exemplo, registraram o menor índice desde 1991, início da série histórica. Entre janeiro e junho deste ano, houve uma redução de 23% dos homicídios em comparação com o mesmo período do ano passado.

      

 

 

 

 

 

Após o pronunciamento do Governador, os secretários de Polícia Militar, Coronel Rogério Figueredo de Lacerda, e de Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga, apresentaram números específicos de suas pastas, como também mudanças de gestão que proporcionaram mais eficiência no cumprimento de missão constitucional de cada órgão de segurança. O saldo operacional extremamente positivo da Polícia Militar, que até o último dia 19 de julho havia apreendido 305 fuzis (recorde histórico no país), e criação de um setor especializado para investigar a estrutura financeira do crime organizado pela Polícia Civil foram alguns dos destaques das apresentações dos dois secretários.

Durante sua explanação, o Coronel Figueredo fez um histórico do início da gestão, em janeiro, quando a área de segurança do estado deixou de contar com o reforço das tropas federais que atuaram durante o período de intervenção. Além de explicar as ações empreendidas para dinamizar o policiamento preventivo e ostensivo, como Percurso Seguro nos principais corredores viários, intensificação do PTOU, convênio com a Polícia Rodoviária Federal para patrulhar as rodovias federais, entre outros, o Coronel Figueredo falou das ferramentais tecnológicas que estão sendo empregadas para melhorar a segurança pública e da expansão dos projetos sociais.