O planejamento montado pela Secretaria de Estado de Polícia Militar para garantir a segurança durante a realização do Rock in Rio 2019 foi um sucesso. Nos sete dias do evento, que reuniu ao todo cerca de 700 mil pessoas, não houve nenhuma ocorrência de relevância, tanto no entorno da Cidade do Rock como nos corredores de acesso e demais locais de concentração de público – terminais rodoviários, do metrô e outros modais. O evento foi realizado em duas etapas – de 27/09 a 30/09 e de 03/10 a 06/10.
Com base em informações da área de inteligência, os policiais militares reprimiram a ação de cambistas e vendedores de produtos ilegais. Foram detidas 22 pessoas, apreendidos 42 ingressos e 168 produtos ilegais com a logomarca do festival – copos, camisas, bonés e bandanas. Com os infratores, os policiais apreenderam R$ 12.685,00.

– Além do planejamento bem elaborado pela Subsecretaria de Gestão Operacional da PM, devemos ressaltar que a nossa missão foi exitosa também pela integração com demais órgãos do estado e do município. A Guarda Municipal foi uma grande parceira – disse o Coronel Ronaldo Martins Gomes da Silva, Comandante do 31º BPM (Barra da Tijuca) e coordenador da implementação do plano.
Durante o evento, foram mobilizados 469 policiais e 92 viaturas por dia para atuar nas imediações da Cidade do Rock, nos corredores de acesso e locais de concentração de público. A segurança interna coube a uma empresa privada contratada pelos organizadores do festival.

Atuaram policiais militares de unidades operacionais da capital, Baixada Fluminense e do interior do estado, como também das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). No local do evento, foi instalado um Centro Integrado de Comando e Controle Móvel. Policiais do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) fizeram parte do policiamento no entorno da Cidade do Rock para dar assistência aos turistas estrangeiros.

Também reforçaram o policiamento nas imediações do festival equipes do RPMont (Regimento do Polícia Montada), com 12 policiais a cavalo a cada dia de evento. O Grupamento Aeromóvel (GAM) disponibilizou um helicóptero para fazer o monitoramento não só da área do festival, como dos principais corredores de acesso.

Integraram ainda o reforço policiais de outras unidades especiais, como RECOM (Rondas Especiais e Controle de Multidões), BEPE (Batalhão Especializado de Policiamento em Estádios), BPVE (Batalhão de Policiamento em Vias Expressas) e BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária).

Três unidades do Comando de Operações Especiais (COE) – BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), BPChq (Batalhão de Polícia de Choque) e BAC (Batalhão de Ações com Cães) – ficaram de prontidão para atuar em situações de emergência, mas não houve necessidade.