A Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro deu mais um importante passo para recompor seu efetivo. Na manhã desta sexta-feira (8/12), foi realizada a cerimônia de formatura de 375 novos policiais militares, que, depois de 12 meses de curso intensivo no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), estão capacitados a reforçar o policiamento nas ruas. Mais 195 recrutas estão concluindo o curso de formação e se formam no dia 15 de dezembro.

O processo de convocação dos últimos 1.800 concursados de 2014 será retomado no dia 22 de novembro, com o ingresso de mil candidatos aprovados no CFAP. Os 800 restantes serão incorporados ao longo do primeiro semestre de 2020, obedecendo os limites do critério de vacância estabelecidos pela Lei de Recuperação Fiscal.

Os novos policiais que se formaram nesta sexta-feira serão distribuídos para as unidades operacionais com maior déficit de efetivo e maior incidência criminal, todas localizadas na Região Metropolitana.

– A recomposição de recursos humanos e materiais na Corporação segue critério estritamente técnico. Avaliamos as necessidades de cada unidade operacional e a incidência criminal nas áreas onde atuam – explicou o Secretário de Estado de Polícia Militar, Comandante-Geral Rogério Figueredo de Lacerda.

Durante a cerimônia de formatura, que contou com a presença do Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e de um grande número de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o Secretário Rogério Figueredo fez um balanço positivo das ações administrativas e operacionais durante este ano.

– As sucessivas e expressivas reduções dos indicadores criminais, divulgados todos os meses pelo Instituto de Segurança Pública, demonstram concretamente as conquistas de nossa política de segurança – disse o Comandante-Geral Figueredo em seu pronunciamento.

Ao se dirigir aos formandos, o Comandante Geral enalteceu o empenho de todos, agradeceu a seus familiares e fez um alerta:

– Ser policial militar significa, muitas vezes, abrir mão de estar perto de suas famílias em datas importantes. Significa passar a prestar muita atenção aonde vamos e com quem conversamos. De serviço ou de folga, o policial militar é policial militar – disse ele.

A nova turma formada recebeu o nome de “Soldado PM Felipe Santos Mesquita”. Trata-se de uma homenagem ao policial militar que morreu em combate durante confronto com criminosos da Comunidade da Rocinha, em março de 2018.

Assim como outros 390 policiais formados este ano, os integrantes da turma Soldado Felipe, além de cumprir a grade curricular convencional, receberam dois treinamentos adicionais – porte velado de armas para atuar com mais segurança nos dias de folga e capacitação de tomada de decisão com uso de simulador em ambiente virtual.

Contudo, o Comandante do CFAP, Coronel Marcelo Teixeira, destaca um módulo inédito cumprido por essa nova turma e que passará a ser adotado nos próximos cursos: treinamento prático nas ruas do bairro de Sulacap sob observação a distância pelos instrutores do CFAP.

– Esse treinamento, realizado já no final do processo de formação, permite que o aluno pratique todas as rotinas que encontrará no batalhão, como por exemplo, apanhar a arma na RUMB (Reserva Única de Material Bélico) da unidade, preencher papeletas, conduzir ocorrências para delegacia da área etc – explica o Coronel Teixeira.
A experiência foi um sucesso. Além de habilitar mais rapidamente o policial a iniciar seu trabalho na unidade para onde for distribuído, a ronda real exercida pelos alunos no final do curso contribuiu para reforçar a segurança do bairro.

– A comunidade local chegou a estender uma faixa de agradecimento aos alunos e ao CFAP pela iniciativa – contou ainda o Coronel Marcelo Teixeira. Durante esse trabalho prático, os formandos conduziram 26 ocorrências para 33ª DP (Realengo), entre as quais tráfico de drogas, porte ilegal de arma e recuperação de veículo roubado.