Ser referência em polícia de proximidade, orientada pela gestão e solução de problemas. Esta é a perspectiva traçada como visão de longo prazo para os próximos quatro anos pelo Plano Estratégico da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro. O documento será lançado oficialmente na manhã desta quinta-feira (16/01), no auditório da Caixa Econômica Federal, no Centro da cidade.

O Plano Estratégico representa um marco histórico na bicentenária Polícia Militar do Rio de Janeiro. Pela primeira vez, um documento que reúne os conceitos de missão, visão e valores para orientar a gestão e conquistas de metas foi desenvolvido exclusivamente por especialistas da Corporação.

– O plano reflete o pensamento e os anseios da nossa tropa. Gestores de todas as áreas, estratégicas e táticas, contribuíram para produção do conteúdo desse documento que poderia ser definido como o farol da Corporação nos próximos quatro anos – explica o Secretário de Polícia Militar, Comandante Geral Rogério Figueredo de Lacerda.

Com base na definição de missão, visão e valores da Polícia Militar, o plano estabeleceu oito objetivos estratégicos, que se desdobraram em 54 iniciativas e 161 metas a serem alcançadas entre 2020 e 2024. A missão foi definida como a razão da existência da Corporação; a visão onde a Corporação quer chegar; e os valores são os princípios inegociáveis. Eis a definição de cada um desses conceitos registrada no documento:

Missão – Melhorar a qualidade de vida no Estado do Rio de Janeiro, através da preservação da ordem pública e da garantia dos direitos fundamentais.

Visão – Ser referência em polícia de proximidade, orientada pela gestão e solução de problemas.

Valores – Preservação da vida e da dignidade da pessoa humana; respeito ao interesse público, ao policial e ao cidadão; profissionalismo com reconhecimento de mérito; governança com foco em resultado; transparência; e hierarquia e disciplina.

A partir desses três conceitos, foram elencados os oito objetivos estratégicos: reduzir os indicadores referentes a crimes violentos; consolidar o valor do policial militar junto à sociedade; otimizar a capacidade operacional; renovar a capacidade logística e estrutural das diversas organizações policiais militares; aperfeiçoar os mecanismos de controle interno; revisar e reestruturar as normatizações das unidades da Polícia Militar; aprimorar e valorizar o efetivo policial militar; e aperfeiçoar os sistemas de tecnologia, informação e comunicação